sábado, 20 de dezembro de 2014

Swan Song

Por vezes perde-se algo que te faz perder a vida, que te faz querer perder a vida.

Perder-te esta a ser assim.

O meu Amor por ti está em conflito com o facto de amar a vida. Porque foi o que te tornaste. A minha vida. Tu. O teu filho. A tua família que não é broken. Tu foste aquilo que almejei durante muito tempo, e nunca o viste pois só viste a pessoa que responde torto a todos. Dei-te tudo o que tinha, o que não tinha, o que ia conseguindo ter.
Penso agora, se calhar em vão.

Encontro-me completamente destruído. Peça a peça, o que ainda estava bem, a ir embora. Porque a nossa relação a 3, passou a ser a 4 quando beijaste o Gonçalo, porque discutimos de cabeça quente e te disse que acabamos. Pensei que me conhecias melhor... pensei que vos conhecia melhor.

Sempre me disseste que era má pessoa, mas no final não foi a minha maldade que se revelou...
Pela primeira vez encontro-me a ponderar um fim. Para isto tudo. Para a luta que tem sida A vida duma fruta. Que vida é esta se a única coisa que faço é lutar sempre.

Tenho chorado o dia todo. Para o teu filho, para o meu menino não vou ser nem uma memória. Se já me achava insignificante para ti, imagina o que é sentires que nem uma memória vais ser para alguém que ocupa um lugar tão grande no teu coração.

A verdade é que sou uma merda. Apenas mo confirmaste.
Da pior maneira.

Isto é mesmo a minha "swan song", dar tudo, quase nada receber de volta, e no final receber um par de cornos.

Compreendo agora como algumas pessoas continuam a amar alguém depois de terem sido traídas, o sentimento é horrível. A anulação pessoal que nos faz sujeitar a tamanha atrocidade faz-nos duvidar se a nossa vida é sequer "worthy" de ser vivida, quem sou eu que amo mais alguém, do que me amo a mim?

Estou a ser perseguido por isso. Porque não faz sentido amar-te tanto ainda, ainda te querer tanto. De te querer depois de me teres dito que só estavas comigo, porque não te podias dar ao luxo de pensar só em ti. Que não era uma decisão que te afectava só a ti. Porque é que tens que ser tanto The One?

Isto era suposto ter funcionado. Era suposto a minha demanda terminar aqui, conseguir ser feliz. Finalmente. Mas não, parece que não está nas cartas eu ser feliz. Ter alguém que me faça feliz.

Eu sei, tenho mil e um defeitos e mais um, mas nunca te trai, nunca o quis fazer.
Sempre te quis, e quero só a ti.

Dou por mim a tremer, como se de Parkinson sofresse, mas a única coisa que sofro é de Amor, de um broken heart que pensou que se tinha sarado quando te tornaste minha. Apenas para agora as peças caírem, peças que se julgavam inquebraveis, são agora estilhaços de um espelho que mostra a cruel fealdade em que a minha vida se tornou. Num nada. Uma imensidão de inexistência pessoal, um túmulo aberto há dor. Uma ferida que não sara. Uma continua batalha por cada respiração... Mais uma luta que não sei se tenho forças, se quero ter forças.

Futuro pai, trata-me bem desse menino. É do que mais valioso existe no mundo.

E tu não te arrependes de o ter beijado.
Não te arrependes de ter feito o meu menino perder um segundo pai, aos dois anos de vida.
Não te arrependes... como Amor?

1 comentário :

  1. Perder um segundo PAI?? mas o miúdo já perdeu algum pai??

    ResponderEliminar